Os títulos públicos, também conhecidos como Tesouro Direto, trazem ótimas oportunidades para o pequeno investidor. Com apenas 30 reais, você já pode investir no Tesouro. Esse tipo de investimento é ainda mais seguro do que a caderneta de poupança e oferece rendimentos muito maiores, além de alta liquidez.

Investir em títulos públicos é também recomendável a investidores de perfil conservador que não estão dispostos a pesquisar cada produto ou emissor do setor privado.

Sendo considerado o investimento mais seguro do Brasil, os títulos públicos, em teoria, deveriam remunerar menos do que qualquer outro investimento financeiro. Porém, na prática isso não ocorre.

Títulos públicos trazem segurança e liquidez

Invista em títulos públicos!

Escolha um horário de sua preferência e solicite uma consulta. É gratuito!

Investir em Títulos Públicos

O Tesouro Nacional emite títulos que se enquadram em praticamente todos os perfis de investidores. Há títulos pré-fixados e pós-fixados, indexados à taxa básica de juros da economia ou à inflação.

É a antiga LTN (Letra do Tesouro Nacional). É um título de renda fixa pré-fixado, logo sua rentabilidade é definida no momento da compra. Também possui pagamento simples.

O investidor sabe exatamente quanto pagou e quanto vai resgatar se permanecer com o investimento até o vencimento.

Tesouro Pré-fixado com Juros Semestrais

Atualmente chamado de NTN-F (Nota do Tesouro Nacional – Série F), o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais também é um título pré-fixado.

No entanto, no caso do Tesouro Pré-fixado com Juros Semestrais, o investidor recebe um fluxo de cupons semestrais de juros, o que pode possibilitar aumento de liquidez e reinvestimentos.

É a antiga LFT (Letra Financeira do Tesouro). É considerado o título mais conservador do governo e, portanto, do mercado financeiro brasileiro como um todo. É um título de renda fixa pós-fixado indexado à taxa básica de juros da economia (definida pelo BACEN), a taxa Selic.

A remuneração para o investidor é dada pela taxa Selic, diariamente, acrescida de ágio (acréscimo) ou deságio (desconto) no momento da compra ou venda do título, os quais estão diretamente correlacionados à demanda existente pelo mesmo. Esses títulos possuem liquidez diária.

É a antiga NTN (Nota do Tesouro Nacional). É um título de renda fixa com rentabilidade atrelada à variação do IPCA (inflação), acrescida de uma taxa de juros pré-fixada, determinada no momento do investimento.

As NTNs garantem rentabilidade real, ou seja, a inflação (medida pelo IPCA) acrescida de uma taxa pré-fixada. Devido ao componente pré-fixado, as NTNs também podem gerar prejuízo ao investidor que desejar resgatar a aplicação antes do vencimento.

Tesouro IPCA + com Juros Semestrais

É a antiga NTN-B (Nota do Tesouro Nacional do tipo B). Possui pagamento de juros semestral, que gera renda periódica e possibilita reinvestimentos ao longo da duração do título.

NTN-B Principal (Nota do Tesouro Nacional do tipo B Principal) hoje Tesouro IPCA+

Se diferencia da NTN-B por ter somente pagamento de juros no vencimento ou resgate.

Fale agora com um assessor de investimentos!

Deixe seus contatos para que um especialista em títulos públicos ligue para você.